Caminho de Santiago: Madrid à Roncesvalles – Parte 1

Por | setembro 24, 2016
pamplona a roncesvalles

Ao contrário da maioria dos brasileiros que decidem por fazer o Caminho de Santiago, eu não saí do Brasil em direção à Saint-Jean-Le-Port ou Roncesvalles, mas da própria Europa, pois já estava lá.

E o plano era fazer o caminho Francês, mas começando da cidade de Roncesvalles, na Espanha.

Segundo pesquisas, eu precisaria ir para a cidade de Pamplona (capital da região conhecida por Navarra) e de lá seguir de ônibus ou taxi para Roncesvalles.

Para chegar em Pamplona, eu poderia pegar um vôo para lá ou ir para Madrid e de lá pegar um ônibus/trêm para Pamplona.

Resolvi ir por Madrid porque sairia mais barato.

Antes de falar da viagem em si, deixe-me falar da mochila de viagem de um peregrino.

Recomenda-se que a sua mochila não tenha mais do que 10% do seu peso. Ou seja, se você pesa 90 quilos, então a sua mochila não pode passar de 9 kg.

Bom, a minha mochila ficou bem mais pesada do que o ideal. Entendi isso como o primeiro ensinamento do Caminho de Santiago: desapego das coisas materiais. O Materialismo não permitiu alcançar uma mochila leve. Isso poderia me trazer dificuldades na caminhada.

Voltando a falar da viagem até Roncesvalles: Eu não calculei direito o tempo que levaria de Madrid para Roncesvalles.

E como só existe um horário de ônibus para lá (18h), eu achei prudente dormir em Pamplona, que fica a 1h de Roncesvalles, do que arriscar chegar muito tarde na cidade ou não conseguir transporte para lá.

Feita a devida introdução, vamos falar agora de como foi essa viagem.

VOO ATÉ MADRID

Sai de Paris em direção a Madrid com a companhia Vueling. Foi o meu primeiro voo com esta companhia de baixo-custo. Meu voo era às 9h40 da manhã.

Deixei pra fazer o checkin no aeroporto porque gosto de imprimir o talão de confirmacao. Como só lembrei do checkin online tarde da noite (anterior ao voo) preferi fazer no aeroporto.

Chegando la, fui surpreendido com uma grande fila. Mas tudo bem, cheguei cedo, poderia esperar.

Ao chegar a minha vez, fui agraciado com uma inspecao na mala que iria despachar. Primeira vez que isso acontece num checkin.

Segui adiante. Chegou a hora de entrar no aviao. Por fora era bem bonito. Um airbus a320. Mas por dentro veio a decepcao. Poltronas apertadas e sem nenhum tipo de entretenimento.

SERVIÇO DE BORDO

Bom, eu estava cansado e dormir a maior parte do voo. No entanto, por se tratar de uma companhia de baixo-custo, era de se esperar que nao me servissem nada gratuitamente. Entao, se quisesse comer ou beber, teria que pagar.

Tambem por ser sido um voo curto, minha experiencia com os comissarios se restringiu ao buenos dias no embarque e o adios no desembarque.

AEROPORTO DE MADRID

Cheguei no aeroporto as 11h45. Fiquei impressionado com o tamanho colossal deste aeroporto. Desembarquei no terminal 4, que parece ter sido construído recentemente. Então tudo estava novo, lindo e moderno.

O aeroporto é tao grande que, só nos lugares por onde circulei, eu vi 2 macdonalds e 2 relays (especie de banca bem sortida, muito comum na França e, parece, Espanha também).

Passado o deslumbre com o aeroporto, eu precisava encontrar o onibus que eu tomaria rumo a Pamplona.

Pamplona a roncesvalles

A Estranha Viagem de Ônibus Até Pamplona

Eu tinha 2 opções: uma prática, que sairia do proprio aeroporto, porem 9 euros mais cara que a segunda e que partiria apenas as 15h. Era a companhia Alsa. E a segunda, uma companhia chamada PLM, que sairia as 13h, porem eu teria que ir ate a rodoviária, no centro de Madrid. A opção mais barata para fazer isso seria de metro, e iria me custar por volta de 5 euros.

Ficou meio obvio qual foi a opção que eu escolhi, certo? Então comprei meu ticket por 31 euros e fui almoçar no macdonalds (almoço super saudável…).

Chegada a hora, o primeiro perrengue: eu queria confirmar se estava esperando o ônibus no lugar certo, e absolutamente ninguém conseguia esclarecer. Pra piorar, o ônibus atrasou e isso me deixou apreensivo pensando: ele está atrasado ou eu que estou no lugar errado?

Decidi ficar la mesmo e contei com o apoio de 2 senhoras que estavam tentando encontrar uma resposta comigo para isso.

Finalmente, o tal ônibus chegou, mas parou atras de todos os outros ja estacionados, tornando quase imperceptível a sua presença. E o curioso é que ele partiu em menos de 6 minutos dali. Ou seja, seria muito fácil ter perdido esse ônibus. Felizmente tudo deu certo e eu segui viagem.

Um detalhe que eu não contava era o fato que eu teria de trocar de ônibus no meio da viagem. Ou seja, eu segui com esse ônibus até a cidade de Soria. La, ele parou numa pequena rodoviária e nos trocamos de ônibus na mesma velocidade do primeiro.

Foi um tira e bota mochila no bagageiro que você não faz ideia…

De PAMPLONA à RONCESVALLES

No meu próximo artigo, falarei sobre a minha chegada na cidade de Pamplona e um pequeno contratempo ocorrido naquela noite, que eu chamei de impossible situation (você vai entender o porque quando ler).

Clique aqui para ler a segunda parte deste artigo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *